Episódio VII promete quebrar recordes, dizem analistas

Na noite de terça-feira (4), a Disney divulgou seu resultado trimestral e conseguiu superar a expectativa em relação ao lucro, puxado principalmente pelos recentes sucessos de cinema do estúdio. Porém, as receitas ficaram abaixo do que era esperado e acabou derrubando os papéis em Wall Street, que no início da tarde desta quarta-feira tinham forte queda de 9%, cotados a US$ 110,99.

Mas nem tudo é desespero neste cenário, principalmente porque 2015 reserva um dia especial para a empresa do Mickey: 18 de dezembro. Para esta data está programada a estreia de Star Wars: O Despertar da Força, retomando uma das maiores franquias do cinema após 10 anos. Só para se ter uma ideia, Benjamin E. Mogil, analista da agência de investimentos Stifel Nicolaus, espera que o filme dê um lucro de US$ 2 bilhões em todo o mundo.

Em entrevista CNBC, Paul Dergarabedian, analista do Rentrak, afirma que Star Wars deve ser ainda mais “mágico” para a Disney do que foi Frozen. “Há um pequeno filme chamado Star Wars: O Despertar da Força vindo em dezembro, e ele deve quebrar recordes nunca se viu”, afirmou.

Segundo o analista, o novo filme da saga deve ajudar nos números da companhia, especialmente na época da estreia em dezembro, época de férias e que tem potencial para maiores retornos. “Com certeza ele irá quebrar o recorde de maior abertura em um fim de semana de dezembro. Nós nunca vimos um filme abrir com mais de US$ 100 milhões de bilheteria em dezembro, e isto vai acontecer com Star Wars”.

“Star Wars vai dar frutos para os próximos 10, 20, até mesmo 100 anos. Este é um plano de 100 anos para a Disney com todas estas várias propriedades. Em seguida, essas propriedades vão para a tela pequena, então há venda de produtos, produtos associados com Star Wars”, disse.

A saga criada por George Lucas foi adquirida pela Disney em outubro de 2012 por US$ 4,05 bilhões. Com isso, atualmente a companhia do Mickey possui 2 das empresas com melhores resultados no cinema, além de Star Wars: o estúdio de animação Pixar e uma das maiores editoras de quadrinhos do mundo, a Marvel. Este é um ótimo tempo para a Disney.

Via: Infomoney