7 artes conceituais não usadas que mudariam a saga!

7 artes conceituais não usadas que mudariam a saga!

Foi num dia de inverno de Janeiro de 1973 quando George Lucas, meses antes de viver o sucesso eufórico de American Graffiti, se sentou numa escrivaninha e terminou o primeiro de muitos rascunhos de Star Wars, começando um período de 3 anos de refinamento meticuloso. Este padrão laboratorial de revisão do enredo e de design continuou através de toda a produção da saga, deixando em seu rastro vários “e se?” e “o que poderia ter sido” que deixariam os fãs acordados à noite pensando a respeito.

Embora muitos desses conceitos omitidos tenham sido desprezados e existem hoje como interessantes anotações, alguns deles, se aprovados, teriam mudado a saga de Star Wars como nós a conhecemos! Prepare-se para essa pequena aventura em histórias não contadas.

1 – Todos têm um sabre de luz

UnusedConcept_01

Até alguém que conhece pouco de Star Wars sabe o quão sinônimo são os sabres com a Ordem Jedi, mas nos primeiros rascunhos de Lucas, estas armas não eram exclusivas aos sensitivos à força. Na verdade, elas eram tão comuns como blasters – nem juramentos nem anos de disciplina eram requisitados.

É praticamente impossível de imaginar os Jedi – e até os Sith – sendo roubados de sua qualidade mais marcante quando qualquer um, desde um bandido degenerado até um stormtrooper recruta, podem empunhar um sabre de luz, isso para não falar nada de toda a emocionante e intensidade dramática que seria arrancada de qualquer duelo decisivo. Felizmente, George percebeu isto rapidamente e descartou essa ideia, uma vez que sabres de luz acabaram pertencendo em um único lugar: ao lado de um Jedi ou de um Sith.

2 – Han Solo, o Extraterrestre

UnusedConcept_03

Os holofotes eram todos voltados a Luke Skywalker na trilogia original, mas sejamos honestos aqui: Han Solo é o único que realmente estava no centro do universo Star Wars. Engenhoso, desinteressado e infinitamente citável – não é de se imaginar o porquê de o piadista Corelliano ser um destaque… mas será que nossos sentimentos seriam os mesmos se ele fosse um alien?

Na adaptação da Dark Horse Comics do rascunho inicial para “The Star Wars”, Solo aparece como um membro de uma espécie de répteis de pele verde chamada Ureallian, lembrando uma mistura do Monstro do Pântano com uma Tartaruga Ninja. A questão é: nós gostamos do Han ou da interpretação do Harrison Ford? Se for a segunda opção, então nós poderíamos estar de boa com o Ford andando por aí num palco em uma fantasia de monstro… não?

É, pensando bem, não mesmo.

3 – Darth Vader: Sem capacete, grande problema

UnusedConcept_03

Às vezes, tudo o que se precisa para se pensar numa imagem de Star Wars é imaginar um item icônico da saga, e o capacete de Darth Vader se impõe como o rei dos visuais. Talvez isso seja o que te levou aos filmes em primeiro lugar, com uma vontade de descobrir o mistério por trás desse visual preto e robótico. Homem? Máquina? Você teria que assistir ao filme para descobrir, ser apresentado a um vilão muito mais complexo que o imaginado, e descobrir o quão grande foi o papel de Vader em todo o plano. Com isto em mente, e se o Vader não usasse o capacete?

De acordo com o documentário Império dos Sonhos: A História da trilogia Star Wars, de 2004, isto foi o que estava na primeira versão. O capacete apenas foi integrado depois do artista Ralph McQuarrie ter descoberto que Vader viajaria através do vazio sem ar do espaço para abordar a nave Rebelde Tantive IV. Hoje, o capacete é literalmente parte do personagem. Cheio de metáfora, o design do capacete caveiresco enfatiza a morte da humanidade de Anakin Skywalker e nos lembra que a armadura é o que o mantém vivo. É, mais uma boa decisão.

4 – Voo dos Wookiees

UnusedConcept_04

22 longos anos depois de serem jogados de lado em Retorno de Jedi em favor dos Ewoks, os Wookiees finalmente receberam seu momento em A Vingança dos Sith, satisfazendo e atiçando os fãs com o pensamento do quão incrível seria se a Batalha de Endor tivesse envolvido os cabeludos amigos de Chewbacca. Mas a verdade é que Lucas queria apresentar os Wookiees muito antes no que se tornaria Uma Nova Esperança, chamando de Yavin seu planeta natal (o que explica o ecossistema selvagem). Mais uma vez nos quadrinhos The Star Wars, a liberação de Yavin lembrou o ataque a Endor, culminando em muitos Wookiees se juntando no ataque à Estrela da Morte – eles participariam como o Rogue Squadron e restaurariam a paz na galáxia! Isso tornaria esses peludos mais populares do que já são.

5 – Boba Fett, o SuperTrooper sem nome.

UnusedConcept_05

Há por aí algum outro personagem de Star Wars com uma legião de fãs como a do Boba Fett? Talvez não, então não fique surpreso em saber que ele era, em seu conceito inicial, um dos cinco soldados sem nome de uma divisão dos stormtroopers chamada de “supertroopers”. Várias artes conceituais de McQuarrie mapearam a evolução de variações dos capacetes tradicionais dos stormtoopers até chegar no visor-T do Fett. Se os produtores de Star Wars tivessem ido por este caminho, seria provável que Boba não teria tido nada mais que uma impressão, especialmente sem a sua carreira de caçador de recompensas que o tornou tão intrigante.

6 – Desfile dos Ewoks… e Yuzzums

UnusedConcept_06

Quando os Wookiees foram tirados da tabela durante o desenvolvimento de Retorno de Jedi, os artistas conceituais do filme trabalharam para criar um novo substituto. Além dos Ewoks, a ideia foi lançada para apresentar os Yuzzums como uma raça secundária em Endor. Talvez para evitar confusão e manter o foco na história, apenas os Ewoks foram incluídos. Em uma pitada de ironia, A Arte de Star Wars: Retorno de Jedi menciona que alguns designs iniciais dos Yuzzums foram aproveitados e incorporados no visual definitivo dos Ewoks. Anos depois, os Yuzzums eventualmente tiveram seu momento na animação Star Wars: Ewoks como vilões.

7 – R2-D2 falando como uma pessoa

UnusedConcept_07

Ele se comunica apenas por meio de ininteligíveis bips, assobios e sinais sonoros, mas para a gente, R2-D2 ele fala de verdade. Isso adicionou um aspecto único ao seu personagem: quando estava com Luke, os sinais eletrônicos desconexos ditos por Artoo davam a ele o charme acolhedor e agradável de um animal de estimação. E sua interação com C-3PO davam um toque extra de comédia. Mas em mais um chocante rascunho, o pequeno astro mecânico era tão falante quanto sua contraparte dourada. No quadrinho The Star Wars, R2 briga, reclama e conversa com todos que possuem receptores de áudio ou ouvidos. Apenas pense: nós seríamos privados de escutar seus gritos de terror.

Artigo de autoria de Steven Romano  do site StarWars.com e traduzido por Paulo Henrique.