Afinal, o que são as midi-chlorians?

Afinal, o que são as midi-chlorians?

A trilogia prequela, e em especial o primeiro Episódio: A Ameaça Fantasma, apresentaram o conceito das Midi-chlorians, formas de vida inteligentes e microscópicas que vivem simbioticamente com todos os seres vivos em que residem e os permitem comunicar com a Força.

Porém, esse conceito não foi bem aceito por uma (grande) parcela dos fãs da saga. Muitos acreditam que o conceito científico do uso da Força é algo que antagoniza o que foi visto na trilogia clássica, onde ela era como uma religião, um poder místico.

O objetivo neste tópico é tentar mostrar aos fãs que as midi-chlorians são um conceito que apenas complementa aquele misticismo ao qual foram apresentados em Uma Nova Esperança.

 A diferença de Eras

star-wars-original-trilogy-vs-prequel-trilogy

Há uma grande diferença entre os temas da trilogia clássica e a da prequela. Uma apresenta uma galáxia rústica e “sucateada”, enquanto a outra nos mostra o lado próspero e tecnológico.

Essa diferença também afeta a maneira que os personagens veem a Força. Na trilogia clássica, onde os Jedi e praticamente todo o seu legado estavam destruídos, ela é tratada como algo místico. Já nas prequelas, a Força, além de sua misticidade, tem sua pegada científica.

O que muita gente não sabe é que as midi-chlorians não foram criadas essencialmente para as prequelas. O conceito delas já existia para George Lucas quando estava produzindo a trilogia original, mas ele sentiu que não tinha tempo para apresentar isso nos filmes.

O conceito

Blood_sample

As midi-chlorians foram mencionadas pela primeira vez por Qui-Gon Jinn, mestre de Obi-Wan, ao pedir a seu Padawan a realização de um exame de sangue para saber a contagem desses organismos em Anakin. E, para sua surpresa, e a de seu aprendiz, o jovem menino possuía a maior contagem já vista, cerca de 20.000, mais até que o próprio Mestre Yoda!

Qui-Gon acreditava fielmente que Anakin era o profetizado Escolhido, aquele que traria equilíbrio à Força, e ao descobrir que Skywalker não teve pai, ele acreditou que o garoto tinha sido gerado pelas midi-chlorians.

Mais tarde, em Coruscant, Anakin estava intrigado sobre o que eram essas tais midi-chlorians que tanto falaram a respeito na reunião do Conselho Jedi. Então ele perguntou a Qui-Gon Jinn, que disse:

São seres de vidas microscópicas inteligentes que vivem no interior de suas células. Sem as midi-chlorians, a vida não poderia existir, e nós não teríamos conhecimento da Força. Elas continuamente conversam conosco, nos dizendo a vontade da Força. Quando você aprender a acalmar sua mente, escutará elas conversando com você.

Ou seja, as midi-chlorians são um fator essencial para a existência de vida na galáxia.

Elas foram vagamente baseadas nas mitocôndrias, organelas que fornecem energia para as células; como as midi-chlorians, acredita-se que a mitocôndria eram organismos separados que viviam nas células vivas e desde então se tornaram parte delas; entretanto, elas às vezes agem como formas de vidas independentes, com próprio DNA. Lucas estabeleceu uma relação com elas, em particular a necessidade das midi-chlorians para a vida existir, como uma metáfora para a sociedade. Segundo ele, todas as partes da sociedade deveriam se unir do jeito que as midi-chlorians e seus simbiontes se unem, trazendo benefícios para ambos os lados.

Lucas disse:

Estou assumindo que as midi-chlorians são uma raça que todos conhecem [no mundo de Star Wars]. O jeito que você interage com a Força é através das midi-chlorians, que são sensitivas à energia. Elas estão no núcleo de sua vida, que é a célula. Elas estão numa relação simbiótica com a célula. E então, porque eles estão interconectados, eles podem comunicar-se com o campo da Força. É assim que se lida com a Força.

Algumas pessoas acharam que isso negava o aspecto democrático da Força, apesar do fato que em Retorno de Jedi, a história e diálogo já tinham deixado claro que a Força era, ao menos de algum jeito, hereditária. O filme tinha linhas como, “A Força é poderosa em minha família”, a qual Luke diz a Leia.

Até esta linha do filme — ou talvez até descobrirmos que Vader era o pai de Luke em Império — muitos telespectadores do primeiro filme, em 1977, talvez tenham entretido a possibilidade de ele ou ela, também, poderem se tornar um Jedi. Afinal de contas, Ben Kenobi não tinha dito a Luke que ele precisava de alguma habilidade especial ou teste de sangue quando ele pediu a ele para iniciar seu treinamento em Episódio IV. Luke apenas precisava aprender como explorar o campo de energia mística chamado de Força. Lucas, até depois de Império, disse isso em um bate-papo com Lawrence Kasdan e o diretor Richard Marquand numa conferência, antes de iniciarem as filmagens de Jedi:
Kasdan: A Força estava disponível para qualquer um que pudesse se conectar a ela?
Lucas: Sim, todos podem fazer isso.
Kasdan: Não apenas os Jedi?
Lucas: São apenas os Jedi que tomam o tempo para fazê-lo.
Marquand: Eles a usam como uma técnica.
Lucas: Como Yoga, ou karatê. Se você quiser entregar seu tempo a isso, você consegue fazer; mas apenas aqueles que realmente queriam eram os que possuíam aquela coisa.

A Polêmica Jack Allek A.k.A RAFA LEMOS

The Midichlorians Awaken

Acho que grande parte do alvoroço ao redor desse tema é o fato de que ele foi apresentado por um dos melhores personagens de toda a trilogia prequela. Algo assim, para alguns quase uma heresia, ter saída da boca de um Jedi badass como Qui-Gon, desorientou um pouco os fãs mais ferrenhos.

Não estou sozinho em acreditar que a introdução científica não atrapalhou em nada na narrativa até mesmo por não ter sequer tocado na definição lírica e espiritual do que é “A Força”.

A Força foi primeiramente citada nos primeiros 35 minutos de Uma Nova Esperança, pelo lendário Ben Kenobi e já vem com um conceito:

Força é o que dá poder ao Jedi. É um campo de energia criado por todos os seres vivos, ela nos envolve e penetra. É o que mantém a galáxia unida.

É interessante que, em 1977, Lucas já estava falando sobre criaturas com mais capacidade natural de interagir com a Força; talvez ele já estava pensando em uma criatura como Yoda. Talvez de algum jeito, essa ideia se tornou Anakin (uma “criatura nascida sem pai” — um resultado da “vontade da Força”).

Mas a questão é: As midi-chlorians alteram algo? Lucas nunca disse que pessoas normais não têm midi-chlorians (exceto quando ele estava brincado: “Han Solo não tem midi-chlorians. Ele é um zumbi.”). De fato, ele disse o oposto. Quando falou mais seriamente sobre elas, ele afirmou: “Midi-chlorians são como uma única entidade: significa que nenhuma pensa individualmente e tem vida própria; elas pensam como unidade porque há muitas delas e elas estão em todos os lugares. Estão em todas as células. E às vezes há mais de uma em uma célula. Às vezes tem muitas em uma célula. Mas pelo menos deve haver uma, senão a célula não pode se reproduzir. Todas as células. Células Vegetais. Toda forma de vida tem uma midi-chlorian vivendo dentro dela.”

Então, apesar dos testes de sangue mostrarem sua aptidão, aprender a Força é como Yoga, ou boxe. Você pode ter nascido ágil, ou grande e forte, mas como temos midi-clhorians em nós, todos podemos desenvolver a Força em pequenos ou grandes tamanhos.

Mas uma pergunta é válida: os fãs não gostam das midi-chlorians por serem um conceito apresentado na nova trilogia ou por que são realmente algo totalmente desnecessário? E se Obi-Wan tivesse as mencionado em Uma Nova Esperança, seria diferente?

Fontes para inspiração: Star Wars e Wookieepedia