Dossiê | Rey Skywalker em Os Últimos Jedi (Parte IV) – Análise do Filme

Dossiê | Rey Skywalker em Os Últimos Jedi (Parte IV) – Análise do Filme

Se você perdeu os outros posts, comece por aqui. Como toda teoria, leve isso como especulação, e antes de comentar sobre, defendendo ou atacando esta teoria, leia toda a matéria (e se possível, todo o dossiê) para não expressar opiniões equivocadas ou sem fundamento. Obviamente este post contém spoilers de Os Últimos Jedi, incluindo diálogos tirados do filme, fotos retiradas do teaser, do trailer, de fotos promocionais e do próprio filme em algumas partes, e também informações de livros de apoio como o The Last Jedi Visual Dictionary (Dicionário Visual). Também contém spoilers do livro Legado de Sangue e do livro The Legends Of Luke Skywalker, ainda não publicado no Brasil.


Diferente da primeira percepção sobre o filme, o Episódio VIII não só endorsa ReySky como oferece brechas pra que isso aconteça. Para provar isso, analisaremos os diálogos de Luke, Rey, Kylo, Snoke, e Yoda. O ideal é que você leia isto acompanhando o filme, ou então, pelo menos, tenha isso em mente quando assistir o filme pela próxima vez. Ao ler esta análise, lembre-se de tudo o que falamos na análise contextual.



Luke pega o sabre, olha para ele por um bom tempo e olha para Rey por mais um tempo até que decide jogar o sabre fora e sair andando.

Esta cena está cortada para evitar a substituição das expressões faciais de Luke, ou seja, até ele pegar o sabre, o que vale é cena original de O Despertar da Força. Só vemos seu rosto quando ele já está segurando o sabre. Entretanto, mudaram a expressão facial de Rey e a moveram para onde Luke possa fisicamente alcançá-la.

As pausas são interessantes porque, diferente do que todo mundo pensa, não foi só para um alívio cômico, e sim também para nos dar a impressão de que ele está pensando em alguma coisa. De acordo com o que já discutimos anteriormente, provavelmente ele sabe quem Rey é, mas a imagem do sabre Skywalker em sua mão o lembra do quanto ele e sua família sofreu por conta desse legado. Não querendo isso pra sua filha, ele decide que é melhor que ela não saiba quem ele é pra ela, sua descendência, e nem deixar que ela siga o caminho Jedi, o qual ele acredita que foi a causa da ruína da família. (De acordo com o Dicionário Visual, ele estava prestes a fazer um ritual de encerramento da Ordem Jedi). Em sua mente, ele tem a chance de viver uma vida livre da dor que o resto de sua família sofreu.

Luke inicialmente tenta fazer ela ir embora sendo incrivelmente rude.

Rey: Mestre Skywalker? Mestre Skywalker? Sou da Resistência. Sua irmã Leia me mandou. Precisamos de sua ajuda. Olá? 

(BATENDO NA PORTA)

Luke: Vai embora.

Chewbacca arromba a porta.

Luke: Chewie, o que você está fazendo aqui?

Rey: Ele disse que você vem com a gente.

Luke: Como vocês me encontraram?

Rey: Longa história. Contamos na Falcon.

Luke: Falcon?

(CHEWIE ROSNA SUAVEMENTE)

Luke: Espera aí. Onde está Han?

A interação de Luke com Chewie e sua reação ao ouvir falar da Falcon é a nossa primeira pista de que seu tratamento com Rey é único. A citação do nome Leia por Rey não o comoveu, mas a aparição de Chewie sim, junto com a menção da Falcon.


Kylo Ren entra na sala do trono de Snoke.

Snoke: Sabe porque eu deixo um cão sarnento em tal posição de poder? A fraqueza de um cão, se bem manipulado, pode ser uma ferramenta poderosa. Como está sua cicatriz?

Na primeira cena entre os vilões vemos Snoke humilhando Kylo, mas também, nas entrelinhas, ensinando-o a usar a fraqueza de alguém para usar contra essa pessoa. Este entendimento é crucial, pois é o pano de fundo de tudo o que Snoke e Kylo fazem neste filme. Snoke até mesmo demonstra isso ao usar as fraquezas de Kylo no resto da cena.

Kylo: Não é nada.

Snoke: Hmm. O poderoso Kylo Ren. Quando eu te encontrei, eu vi o que todos os mestres vivem pra ver. Um poder bruto e incontrolável. E além disso, algo muito especial. O potencial de sua linhagem. Um novo Vader. Agora temo que eu esteja enganado.

Snoke especificamente visou o neto de Vader por sua linhagem (De acordo com o Dicionário Visual, Snoke acreditava que somente alguém da linhagem Skywalker poderia desafiar Luke). O filme aponta como isso é mais uma maldição do que um presente. Anakin e Ben foram respectivamente visados por mestres do Lado Negro por quem eram (Anakin por ser O Escolhido), enquanto Leia perdeu tudo após seu parentesco se tornar público (O que é mostrado no livro Legado de Sangue, publicado no Brasil pela editora Aleph). Todo mundo odeia ou quer os Skywalkers para algum propósito e isso destruiu a família por três gerações.

Agora note que Snoke mencionou a linhagem Skywalker junto com o “poder bruto”, sugerindo que há algo particularmente único sobre isso. Também sabemos pelo cânon que Snoke procurou Ben bem antes dos acontecimentos de Legado de Sangue.

Kylo: Eu dei tudo o que tenho pra você. Pro Lado Sombrio.

Snoke: Tire essa coisa ridícula! Sim, aí está. Você tem muito do coração do seu pai, jovem Solo.

Note a ideia de Kylo tendo “muito de seu pai nele”. Teremos isso em mente ao analisarmos a história de Rey na segunda metade do filme.

Kylo: Eu matei Han Solo. Quando o momento veio, eu não hesitei.

Sim, ele hesitou. Isso está bem claro na cena da ponte em O Despertar da Força. E ainda Kylo parece acreditar que ele está contando a verdade a Snoke. Essa disparidade entre o que Kylo percebeu e a realidade mostra que as percepções de Kylo não são confiáveis.

Snoke: E olhe pra você, o ato destruiu seu espírito. Você estava desequilibrado, perdeu pra uma garota que nunca tinha usado um sabre de luz! Você falhou! Skywalker vive. A semente da Ordem Jedi vive. E enquanto viver, esperança vive na galáxia. Pensei que você seria aquele que a exterminaria. Infelizmente, você não é Vader. Você é só uma criança numa máscara.

Repare no uso da frase “A semente da Ordem Jedi”. “Semente” é também um termo arcaico para “filho biológico”. E o uso da palavra ‘Skywalker’ durante o filme é interessante. Enquanto Snoke obviamente se referindo a Luke aqui, também podemos dizer que ele estava falando de Rey. Snoke iguala a derrota de Kylo pra Rey, ou seja, não tê-la matado, à falha de não ter exterminado a esperança – Luke Skywalker vive, assim como Rey. Enquanto os Skywalkers viverem, a Ordem Jedi pode retornar.

Também note que a manipulação de Snoke sobre Kylo começa a dar sinais de falha real neste momento. Ele provavelmente queria que Kylo o provasse estar errado (o que acaba acontecendo mais tarde), mas, ao invés disso, parece que Kylo abandona seu objetivo de ser um novo Vader.


Credit: Jonathan Olley/ILM/© 2017 Lucasfilm Ltd.

Rey: Não há luz em Kylo Ren. Ele só está se tornando mais forte. A Primeira Ordem vai controlar todos os maiores sistemas em semanas. Precisamos de sua ajuda. Precisamos que a Ordem Jedi volte. Precisamos de Luke Skywalker.

Luke: Vocês não precisam de Luke Skywalker.

Rey: Você ouviu cada palavra do que eu disse?

Luke: Está pensando o quê? Que eu vou andar com uma espada laser e enfrentar toda a Primeira Ordem? O que você pensou que ia acontecer aqui? Você pensa que eu vim pro lugar mais escondido da galáxia sem nenhum motivo? Vai embora.

Rey se recusa a desistir e segue Luke em suas atividades diárias enquanto ele a ignora.

Luke claramente se recusa a admitir Rey nessas cenas, mas ele dá algumas olhadinhas.


A Força guia Rey até os textos Jedi.

Novamente vemos que Luke não está a ignorando completamente e começa a observar o que ela está fazendo assim que ela parou de o seguir.

Luke: Quem é você?

Rey: Eu conheço este lugar.


Luke:
Construído há milhares de anos para guardar isto. Os textos Jedi originais. Assim como eu, eles são os últimos da religião Jedi. Você viu este lugar. Você viu esta ilha.

Rey: (SUSSURRANDO) Apenas em sonhos.

Luke: Quem é você?

Rey: A Resistência me enviou.

Luke: Te enviou? O que você tem de especial? De onde você é?

Rey: De lugar nenhum.

Luke: Ninguém é de lugar nenhum.

Rey: Jakku.

Luke: Tem razão, isso é mesmo lugar nenhum. Por que você está aqui, Rey, de lugar nenhum?

Esta é a primeira vez que o nome de Rey é mencionado entre os dois. Será coincidência Luke dizer o nome dela primeiro?

Rey: A Resistência me enviou. Precisamos de sua ajuda. A Primeira Ordem se tornou imbatível.

Luke: Por que você está aqui?

Rey: Alguma coisa dentro de mim esteve sempre ali. E agora despertou. E eu estou com medo. Eu não sei o que é e nem o que fazer com isso. E eu preciso de ajuda.

Aqui temos nossa primeira real conversa entre Luke e Rey. Luke pergunta todo tipo de questões sobre Rey pessoalmente, até quando ela tenta evadir e voltar ao assunto da Resistência. Luke querendo saber coisas pessoais sobre ela depois de tratá-la com indiferença todo esse tempo é no mínimo estranho. Contudo, isso faz sentido na perspectiva de que Luke suspeita fortemente de quem ela é e está tentando descobrir o que ela sabe sobre si mesma. Ele intervém por temer o que a Força pode mostrar pra ela.

Luke: Você precisa de um professor. Eu não posso ensiná-la.

Rey: Como não? Eu vi sua rotina, você não está ocupado.

Luke: Eu nunca vou treinar outra geração de Jedi. Eu vim pra essa ilha pra morrer. É hora dos Jedi acabarem.

Rey: Por que? Leia me enviou com esperança. Se ela estava errada, ela merece saber o porquê. Todos nós merecemos.

Com sua curiosidade satisfeita, Luke volta a ignorá-la pessoalmente. Ele deve saber o que ela realmente está procurando, mas muda a conversa para o tópico óbvio.



Luke visita a Millennium Falcon e encontra R2-D2 onde eles têm uma breve conversa – a sós.

Essa conversa torna o tratamento de Luke em relação a Rey ainda mais esquisito. Aqui ele se comporta exatamente como o Luke que conhecemos!

R2 toca a mensagem de Leia de Uma Nova Esperança – “Ajude-me, Obi-Wan Kenobi”

Luke se lembra de como seu caminho como Jedi começou. É possível que ele tenha percebido que de um jeito ou de outro ela iria explorar seus poderes, então ele decide começar a dissuadi-la especificamente do caminho Jedi. Outro ponto importante é de que não foi Rey quem o convenceu, e sim R2 – por trás dos panos. Vale pontuar que o Dicionário Visual afirma que R2 prometeu tomar conta de Rey e por isso mandou BB-8 ficar na Resistência.

Rey acorda assustada.

Luke: Amanhã, ao amanhecer. Três lições. Vou te ensinar o caminho Jedi e por que eles precisam acabar.

Mesmo Luke concordando em ajudar Rey um pouquinho, suas interações com ela são bruscas e impessoais.


Rey e Kylo se conectam pela Força pela primeira vez. Rey ‘atira’ em Kylo.

Kylo: Você vai trazer Luke Skywalker para mim. Você não está fazendo isso. O esforço a mataria. Pode ver meu entorno?

Aqui temos uma pista do que aconteceria com Luke no final do filme.

Rey: Você vai pagar pelo que fez!

Kylo: Não consigo ver o seu. Só você. Então, não. Isso é outra coisa.

Repare que logo depois ele consegue ver Luke. Isso é algo que vamos usar adiante.



Luke dá a Lição 1
.

Após a cena cômica onde Luke bate na mão dela com a folha, repare como ele olha para Rey após ela fechar os olhos, e como a câmera foca tanto no rosto dele como em como ele coloca a mão dela no lugar certo carinhosamente. Estranho pra quem a horas atrás estava a evitando.


Rey:
Pode sentir isso? Tem alguma coisa abaixo na ilha. Um lugar. Um lugar sombrio.

Luke: Equilíbrio. Luz poderosa, Escuridão poderosa.

Rey: É frio. Está me chamando.

Luke: Resista, Rey. Rey? Rey!


Rey quebra a rocha onde eles estão e se segura nela.

Luke: Você foi direto pra escuridão!

Rey: Aquele lugar estava tentando me mostrar alguma coisa.

Luke: Ofereceu algo que você precisava. E você nem tentou se conter.

Se Luke não tinha certeza de quem ela é antes, agora ele deve ter. 

Rey: Mas eu não vi você. Nada de você. Você se fechou pra Força. É claro.

Luke: Eu vi essa força bruta somente uma vez, em Ben Solo. Na época não me assustou. Agora assusta.

A resposta de Luke aqui é importante. Ele compara a “força bruta” de Rey com a de Ben, exatamente o mesmo adjetivo usado por Snoke para descrever seus poderes. Toda vez que Luke parece se esquecer do comportamento que decidiu ter em relação a Rey, alguma coisa acontece que o faz lembrar e com mais força. Ame ou odeie, a Trilogia Prequel estabeleceu que os Skywalkers a partir de Anakin descendem da Força e portanto têm uma sensibilidade incomum a um Jedi regular. Ele simplesmente viu que sua filha herdou todo o poder do sangue Skywalker, chegando a compará-la com alguém que também é descendente da Força – Ben Solo.



Rey treina com o bastão e depois com o sabre de luz.


Luke a observa por poucos segundos com uma expressão de indagação e tristeza e depois vai embora antes que ela percebesse. Com uma expressão confusa, Rey o vê indo embora.


Luke: Lição dois. Agora que estão extintos, os Jedi são romantizados, endeusados. Mas se você tirar o mito e olhar para seus feitos, o legado dos Jedi é a falha. Hipocrisia, arrogância.

Rey: Isso não é verdade.

Luke: No auge de seus poderes, deixaram que Darth Sidious se erguesse, criasse o Império, e destruí-los. Foi um mestre Jedi quem treinou e criou Darth Vader.

A amargura de Luke é palpável e bem pessoal. Ele culpa o caminho Jedi por guiar sua família à ruína repetidamente por três gerações. Pela nossa interpretação, ele está tentando convencer sua filha a não seguir este caminho.

Rey: E um Jedi quem o salvou. Sim, o homem mais odiado da galáxia. Mas você viu conflito nele. Acreditou que ele não estava perdido. Que ele podia voltar.

Rey reconta o que fez de Luke uma lenda. Isso a inspira a seguir o mesmo caminho mais tarde.

Luke: E eu me tornei uma lenda. Por muitos anos, houve equilíbrio, e aí eu vi Ben. Meu sobrinho com aquele poderoso sangue Skywalker. E em minha arrogância, pensei que eu podia treiná-lo, passando adiante meus pontos fortes. Han foi Han sobre isso, mas… Leia me confiou seu filho. Peguei ele, e uma dúzia de estudantes, e comecei um templo de treinamento. Quando eu percebi que eu não tinha como enfrentar a escuridão que estava crescendo dentro dele, já era tarde demais.

Esta seção de diálogo é uma das mais importantes de todas, pelos seguintes motivos:

– Note o sarcasmo de “aquele poderoso sangue Skywalker”. Novamente, nossa atenção é focada em como o sangue Skywalker seria mais uma maldição do que um presente.

– Ele também menciona que estava passando adiante seus pontos fortes para Ben, o que é algo que um pai também passa ao seu filho (Veremos mais tarde que Rey herdou todos os pontos fortes dele). Contudo, como vemos em Legado de Sangue, Luke e Leia não passou a Ben as lições das falhas de Vader, permitindo que Snoke se aproveitasse das fraquezas da família.

– Uma das qualidades que definem Luke é sua humildade. Se culpar por arrogância soa como auto-depreciação e é provavelmente injustificado.

Rey: O que aconteceu?

Luke: Fui confrontá-lo. E ele se virou contra mim.

Visão onde Luke não está com o sabre ligado.


Luke:
Ele deve ter pensado que eu estava morto. Quando eu vi, o templo estava em chamas. Ele fugiu com alguns dos meus estudantes. E matou o resto. Leia culpou Snoke, mas fui eu. Eu falhei. Porque eu era Luke Skywalker. Mestre Jedi. Uma lenda.

É sutil, mas aqui há uma grande indicação de que alguma coisa já estava errada com Luke a esse ponto. Ben não foi o único. Luke já havia perdido muitos estudantes para o Lado Sombrio e não percebeu isso antes que eles se virassem contra ele.


Rey:
A galáxia pode precisar de uma lenda. Eu preciso de alguém que me mostre meu lugar nisso tudo. E você não falhou com Kylo. Kylo falhou com você. Eu não vou falhar.

Rey não está procurando um mestre, ela está procurando um pai.


Luke se reconecta com a Força.

Leia: Luke.

Luke: Leia.

O timing da reconexão de Luke é intrigante. Não parece ter sido precipitado por nenhum evento anterior, ele simplesmente reconecta.


Rey e Kylo se conectam novamente.

Rey: Eu prefiro não fazer isso agora.

Kylo: É, eu também não.

Rey: Por que você odeia o seu pai? Você tem alguma coisa, uma roupa pra se cobrir?

Kylo até tenta estabelecer uma “tensão sexual”, mas isso só deixa Rey desconfortável, como a reação dela mostra.

Rey: Por que você odeia seu pai? Me dá uma resposta honesta. Você teve um pai que te amou, que se importou com você.

Kylo: Eu não o odeio.

A declaração de Kylo de que não odeia o pai é no mínimo estranha. 

Rey: Então por que?

Kylo: Por que o quê? Por que o quê? Diga.

Rey: Por que você… Por quê você matou ele? (CHORA) Eu não entendo.

Kylo: Não? Seus pais te descartaram como um lixo.

Rey: Eles não fizeram isso!

Note que Kylo falou pra Rey que os pais dela teriam a descartado muito antes da visão que ele teve. Ele sabe qual é o maior medo de Rey e está explorando isso ao máximo.

Kylo: Eles fizeram. Mas você não para de precisar deles. É a sua maior fraqueza. Procurando em todo lugar, em Han Solo, agora em Skywalker. Ele te contou o que aconteceu naquela noite?

Este é um ponto importante, Kylo entende o que Rey precisa, porque ele sente a mesma necessidade. Enquanto isso está prevenindo Rey de descobrir sua própria identidade, está conduzindo Kylo a tentar livrar-se dela. Provavelmente Kylo fez a mesma coisa que Rey está fazendo, ou seja, procurou um mentor em seu pai e então no tio. Pela nossa interpretação, Rey está, sem saber, fazendo a mesma coisa de forma invertida.

Rey: Sim.

Kylo: Não. Ele sentiu meu poder, como ele sente o seu. E ele temeu.

Rey: Mentira.

Kylo: Deixe o passado morrer. Mate-o se for preciso. É a única forma de se tornar o que você foi feita pra ser.

Enquanto Kylo continua a falar sobre deixar o passado pra trás, ele trai sua total obsessão nisso. A única razão para procurar destruir pessoas e coisas do passado é a crença equivocada de que isso fará com que a pessoa se livre também das emoções ligadas a ele. Como ele descobre com seu pai, isso só adiciona mais dor.



Rey cai na caverna sombria.

VOZ FEMININA: Rey?

Há dois áudios de uma voz feminina chamando o nome dela nesta cena, provavelmente sua mãe. É bom lembrar desta inclusão na hora da “revelação” mais tarde. Não parece ser de alguém que não se importaria com sua filha.

(DEDOS ESTALANDO)

Rey: Eu deveria me sentir presa ou em pânico. Mas não me senti. Isso não seria assim pra sempre, eu sabia que estava me levando a algum lugar. E aquilo, no final, iria me mostrar o que eu vim ver.

VOZ FEMININA: Rey.

Rey: Deixe me ver meus pais, por favor. Eu achei que iria encontrar respostas aqui. Eu estava errada. Nunca me senti tão sozinha.

A cena dos espelhos está exatamente na metade do filme e entender essa cena é crucial pra entender o resto do filme. Aqui, Rey continua procurando alguém pra dizer a ela quem ela é, mas o espelho, sendo um espelho, só pode refletir o que está dentro dela (ou como Yoda diria, o que ela traz com ela). Antes de seu reflexo aparecer, ela vê sombras que representam o que ela lembra de seus pais. Como ela pode confirmar alguma coisa mais tarde se ela só se lembra de vultos?

Kylo: Você não está sozinha.

Rey: Nem você.

Empurrar Rey para longe foi um tiro que saiu pela culatra, pois Luke, ao fazer isso, empurrou ela justamente para os braços de Kylo, a única pessoa que parecia entender o que ela estava procurando.


Tomada de Luke com o rosto em pânico.

Luke: Rey?

Outra cena muito importante. Luke está completamente em pânico e parece sentir que Rey está caindo em uma armadilha. Essa é a primeira vez que vemos ele se preocupar com Rey no filme inteiro.

Rey: Não é tarde.

Rey e Kylo tocam mãos através da conexão.

Luke: Parem!

Luke vê Kylo Ren, destrói a cabana de pedra e percebe que Kylo não estava ali de verdade. Isso acontece depois de Luke ter se reconectado e é a primeira vez que Luke vê Kylo durante uma das conexões com Rey. As únicas vezes que vimos Luke perder o controle desse jeito foi quando pessoas da família foram ameaçadas.

Rey: É verdade? Você tentou matá-lo?

Luke: Saia da ilha agora!

Preste atenção em como Luke diz isso. Ele imediatamente muda para sua atitude anterior de desprezo à Rey. Esta mudança brusca de uma preocupação extrema a ponto de reagir violentamente a uma ameaça a Rey para uma personalidade irritante e impessoal sugere fortemente que tudo era um teatro. Isso explicaria por que muitos acharam que Luke estava “fora do personagem”. Era a reação de um pai super protetor.

A questão aqui é por que Luke agora quer que ela saia da ilha depois de estar tão preocupado com ela, e depois de ver ela tão perigosamente perto de Kylo. Pela nossa interpretação, realmente não é algo racional. Ele está perdendo a capacidade de manter sua aparência de “velho turrão”. Vendo ela com Kylo não só lhe trás medo de ver sua filha se tornando uma Vader, como ele teme o quanto isso está o afetando. Luke não está se comportando racionalmente porque ele está com o emocional perturbado. 

Rey: Para. Para! Você fez isso? Você criou Kylo Ren?

Luke e Rey lutam contra o outro.

Rey: Me diz a verdade.

Rey se identifica tanto com Kylo que passou a defendê-lo. Isso é fruto da mesma compaixão que fez Luke achar luz dentro de Vader.

Luke: Eu vi escuridão. Eu senti isso crescer nele. Eu vi em momentos do seu treinamento. Mas quando eu olhei a fundo, era além do que eu tinha imaginado.

Luke olha a mente de Ben enquanto está dormindo.

(SABRES DE LUZ)

(GRITO FEMININO DISTANTE)

Luke: Snoke já tinha mudado o coração dele. Ele traria destruição, dor, morte, e o fim de tudo o que eu amava por conta do que ele iria se tornar. E por um momento pequeno de puro instinto, eu pensei que podia pará-lo.

(Flashback com Luke segurando seu sabre ligado desta vez.)

Luke: Passou como uma sombra. E fui deixado com a vergonha e a consequência. E a última coisa que vi foram os olhos assustados de um garoto cujo mestre falhou com ele.

A revelação de que Luke deliberadamente omitiu informações deveria fazer o público imaginar o que mais ele esconde.

Rey: Você falhou pensando que a escolha dele tinha sido feita. Não foi. Ainda há conflito nele. Se ele for para a luz, isso poderia mudar as coisas. Isso é como nós podemos ganhar.


Luke: Isso não vai acontecer do jeito que você pensa.

Rey: Vai sim. Agora, quando tocamos as mãos, eu vi o futuro dele. Tão claro como eu vejo você. Se eu for até ele, Ben Solo vai voltar.

Luke: Rey, não faça isso.

Rey: Então ele é a nossa última esperança.

Essa é uma referência a O Império Contra-Ataca, quando Obi-Wan e Yoda tentam persuadir Luke a não is salvar Han e Leia. Caindo em si, e pensando nos perigos que Kylo pode oferecer, Luke tenta persuadir Rey a não ir, mas ela foge mesmo assim, assim como Luke fez quando jovem. A fala de Rey: “Então ele é nossa última esperança”, deve remeter a quando Obi-Wan disse: “Aquele rapaz é nossa última esperança” e Yoda responde: “Não, há outro.”

Agora note o simbolismo de Luke não aceitando o sabre Skywalker. Ele não está pronto pra aceitar o legado de sua família. Rey, sem saber, aceita quando seu pai não pôde.

Esta é a última interação entre Luke e Rey pelo filme todo, e se não olhássemos a fundo, poderíamos pensar que ela não teve nenhum impacto em Luke. Mesmo assim, Rey sai da ilha tanto perplexa como alienada e seu relacionamento com Luke aparentemente não termina bem.


Fantasma da Força de Yoda aparece.

Luke: Mestre Yoda.

Yoda: Jovem Skywalker.

Luke: Estou acabando com isso. A árvore, os textos, os Jedi. Vou queimar tudo.

Yoda: Hmm. (RINDO) Ah, Skywalker. Falta sua, eu senti.

Yoda invoca um raio que queima a árvore.

Luke: Então é hora da Ordem Jedi acabar.

Yoda: A hora é. Hmm. De olhar além de uma pilha de livros velhos, hmm?

Luke: Os textos sagrados Jedi!

Yoda: Oh. Ler eles, você leu?

Luke: Bom, eu…

Yoda: Interessantes eles não eram. Sim, sim, sim. Sabedoria eles continham, mas aquela biblioteca não tinha nada que a menina Rey já não possuísse. Skywalker, ainda olhando pro horizonte. Nunca aqui, agora, hmm? A necessidade na frente do seu nariz. Hmm?

Luke tinha uma boa intenção em não treinar Rey, mas acabou ignorando a necessidade desesperada que ela tinha que não tinha nada a ver com ser uma Jedi. O aviso de Yoda de que Skywalker está olhando pro horizonte e não vendo a necessidade na frente dele é interessante quando você percebe que Rey também está fazendo isso. Luke não vê que o que ela precisa é do pai, e nem Rey reconhece Luke como um pai ou que ele precisa ser um pra ela.

Luke: Eu fui fraco. Tolo.

Yoda: Perder Ben Solo, você fez. Perder Rey, não podemos.

Luke: Não posso ser o que ela precisa que eu seja.

Ela não precisa que ele seja um mestre Jedi. Ela precisa que ele seja um pai.

Yoda: Minhas palavras, não ouviu? Passe o que você aprendeu. Força, maestria. Mas fraqueza, tolice, falhas também. Sim, falhas mais do que tudo. O melhor professor, a falha é. Luke, nós somos o que eles crescem. Esse é o verdadeiro fardo de todos os mestres.

Luke não queria treinar Rey porque ele não queria ter que passar suas falhas. Ele não queria deixar Rey com o fardo de corrigi-las. A fala de Yoda também tem um significado especial se considerarmos que nem Luke nem Leia contaram a Ben sobre seu avô. Ambos contaram sobre os sucessos da família, mas nunca de suas falhas. Pela nossa interpretação, Luke decidiu esconder de Rey tudo sobre o legado de sua família, tanto sucessos como falhas. Yoda está explicando que ele entendeu tudo errado.


Rey se entrega para a Primeira Ordem

Kylo: Quase lá.

Rey: Você não precisa fazer isso. Eu sinto o conflito em você. Está te destruindo. Ben, quando tocamos as mãos, eu vi seu futuro. Só a forma dele, mas sólido e claro. Você não vai se dobrar perante Snoke. Você vai voltar. Eu vou te ajudar. Eu vi.

Note que Rey só viu a forma do futuro de Kylo, não detalhes específicos. Isso demonstra que Kylo também não viu detalhes específicos na visão dele. A fala de Rey também ecoa a fala de Luke quando ele se entregou para Vader em O Retorno de Jedi.

Kylo: Eu vi algo, também. E por conta do que vi, quando o momento chegar, você é quem vai se converter. Você vai ficar do meu lado. Rey, eu vi quem são seus pais.

Eles entram na sala do trono de Snoke.

Snoke: Muito bem, meu bom e fiel aprendiz. Minha fé em você foi restaurada. Jovem Rey. Bem-vinda.

(ALGEMAS BIPAM E CAEM)

Esta cena inteira é uma referência à cena da sala do trono em O Retorno de Jedi, com Rey fazendo o papel de Luke.

Snoke: Venha mais perto, criança. Tão forte. A escuridão se ergue, e a luz para encontrá-la. Eu avisei para meu jovem aprendiz que quanto mais forte ele se tornasse, seu equivalente na luz se ergueriaSkywalker (RINDO BAIXO), assumi. Erroneamente. Perto, eu diria.

Repare como Snoke usa a palavra Skywalker ironicamente. “Perto, eu diria.” Só não foi o Skywalker que ele estava esperando.

Jonathan Olley/© 2017 Lucasfilm Ltd.

Rey: Você subestima Skywalker, e Ben Solo, e a mim. Isso vai ser a sua queda.

Snoke:  Oh… Você viu alguma coisa? Uma fraqueza no meu aprendiz. Foi por isso que veio? Jovem tola. Fui eu quem liguei suas mentes. Alimentei a alma conflita de Ren. Eu sabia que ele não seria forte o bastante para esconder de você. E você não foi sábia o bastante pra resistir. E agora, você vai me dar Skywalker. E então te matarei com o golpe mais cruel.

Snoke toma crédito tanto pela conexão quanto pelas visões, mas será que ele está falando a verdade? A visão de Rey acontece depois, ela só interpretou errado. E também foi estabelecido pelo site oficial de Star Wars que os dois sentiram essa conexão no interrogatório em O Despertar da Força. Alternativamente, se Snoke está contando a verdade, isso implica em pensar que ele também plantou a visão de Kylo.

Rey: Não.

Snoke: Sim.

(Rey solta grunhidos)


Snoke: Me dê tudo.

Rey: Não! Não! Não! (GRITA)

A Primeira Ordem atira nos transportes.

Rey: (GEME)

Snoke: Bem, bem, eu não esperava que Skywalker fosse tão sábio. Vamos dar a ele e à Ordem Jedi a morte que ele deseja. Depois de acabarmos com os Rebeldes, vamos até o seu planeta e destruir a ilha inteira.

Rey é levada até o observador.

Snoke: Tão corajosa. Olhe aqui, agora. A Resistência inteira nesses transportes… Logo estarão todos mortos. Pra você, tudo está perdido.

Rey pega o sabre de luz de Kylo Ren.

Snoke: Ooh. E ainda tem aquela ardente chama de esperança. Você tem o espírito de um verdadeiro Jedi! E por causa disso, você deve morrer. Meu aprendiz valioso, filho das trevas, aparente herdeiro de Lord Vader. Onde havia conflito, vejo decisão. Onde havia fraqueza, força. Complete seu treinamento, e cumpra o seu destino.

Snoke diz que Rey “tem o espírito de um verdadeiro Jedi”, e logo após, cita a linhagem de Kylo Ren.

(RESPIRAÇÃO OFEGANTE)

Kylo: Eu sei o que tenho que fazer.

Rey: Ben.

(SNOKE RI ALTO)

Snoke: Você acha que pode convertê-lo? Criança patética. Eu não posso ser traído, eu não posso ser vencido. Eu vejo a mente dele, vejo cada intenção. Sim. Eu vejo ele virando seu sabre. E agora, criança tola, ele o liga, e mata seu verdadeiro inimigo!

Kylo usa o sabre Skywalker que estava perto de Snoke para matá-lo.

De acordo com o Dicionário Visual, Kylo estava maquinando um jeito de trair Snoke desde que Han o avisou que ele só estava o usando. Ele teve sua confirmação no começo do filme, e agora, ele se aproveita do momento para matá-lo. O Dicionário Visual também diz que Kylo só se preocupa com sua ascensão e poder pessoal.

Kylo e Rey lutam contra os guardas pretorianos.

Rey: Ben! A frota. Ordene para que parem de atirar. Ainda há tempo de salvar a frota. Ben?

Kylo: É tempo de deixar as coisas velhas morrerem. Snoke, Skywalker. Os Sith, os Jedi, os Rebeldes… Deixe tudo morrer. Rey. Quero que você se junte a mim. Podemos mandar juntos e trazer uma nova ordem à galáxia.

E Kylo Ren explica o que o filme está fazendo, ao menos na superfície. No final, matou Snoke e os Sith; a sabedoria dos Jedi foi destruída junto com seu último membro e a Resistência foi aniquilada; e está em vias de destruir também os Skywalkers e seu legado;

Contudo, se olhar com atenção, o filme esteve calmamente subvertendo a mensagem. A biblioteca foi destruída, mas descobrimos mais tarde que os livros e o conhecimento estão salvos. A Resistência se foi, mas a faísca de esperança está viva (bela referência a Rogue One). Os Sith e Snoke estão mortos, mas a escuridão continua com Kylo Ren…

…e o legado de Darth Vader será destruído, se o legado de Anakin Skywalker sobreviver através de Rey.

Este é o presente que Luke quer dar a sua filha.

Rey: Não faz isso, Ben. Por favor, não vá pra esse caminho.

Kylo: Não, Não. Você ainda está segurando! Deixe ir! Quer saber a verdade sobre seus pais? Ou sempre soube? E você só estava escondendo. Você sabe a verdade. Diga. Diga.

Rey: Eles não eram ninguém.

A interpretação errada da visão na caverna de espelhos e o fato de que ela não se lembra do rosto de seus pais a fez acreditar na única “verdade” que ela sabia.

Kylo: Eles eram sucateiros pobres que te venderam por bebida.

Rey: (CHORA)

Kylo: Eles estão enterrados como indigentes no deserto de Jakku. Você não tem nenhum lugar nessa história. Você vem de um nada. Você não é nada. Mas não pra mim. Junte-se a mim. Por favor.

Note que o que Rey viu na visão foi uma verdade incompleta. Kylo não se dobrou perante Snoke, inclusive matou-o, mas também não voltou para a luz e seguiu firme em seu propósito no Lado Negro. Então Kylo também não viu uma verdade completa. Tanto prova que, se os pais dela eram indigentes que eram tão pobres que a trocaram por bebida, por que no forceback de O Despertar da Força (a única visão confiável que temos), vemos uma nave aparentemente nova a deixando nas mãos de Unkar Plutt? Rey pode ter sido sequestrada por outros sucateiros em algum ponto, e uma possibilidade interessante vêm do novo cânon: Luke foi visto ganhando a vida como sucateiro após a Batalha de Jakku (citamos isso na análise temática). Então há uma grande possibilidade de que ele tenha visto Luke na visão mas tenha contado meias verdades pra fazer Rey acreditar que é um nada.

O mais interessante é que aqui Kylo responde todas as perguntas que Luke fez a ela de forma invertida: “Quem é você? De onde você vem? Por que está aqui?”. Mas responde de modo a tentar fazer Rey acreditar que ninguém se importa com ela, só ele. Isso é típico de manipulação emocional.

E lembre-se da visão dos espelhos, onde só mostraram sombras dos pais dela, porque provavelmente era tudo o que ela conseguia lembrar. 

Rey e Kylo brigam pelo sabre Skywalker, que se quebra.

Uma peça muito importante de simbolismo. Diferente de O Despertar da Força, os dois estão puxando em direções opostas e com forças exatamente opostas, fazendo com que o sabre se quebre – sugerindo que ambos têm pleno poder de reivindicar o sabre. O sabre se quebra no processo, mas o coração dele – o cristal Kyber – está intacto e Rey o pega.

Vamos repetir – o sabre Skywalker é destruído, mas seu componente mais importante não. A família Skywalker está sendo tirada de seu legado sombrio, mas a família pode sobreviver através de Rey.

Kylo assume o posto de Supremo Líder após culpar Rey pela morte de Snoke.


Luke aparece na base da Resistência em Crait e conversa com Leia.

Repare que ele consegue ver Leia (e aparentemente também C3PO), mas não consegue ver o resto das pessoas que estavam lá. Assim como Kylo e Rey, ele só consegue ver os membros da família, e não seu entorno. Este ponto em específico ainda é um pouco discutível.

Luke sai para confrontar Kylo.

Note que o tema que toca nesse momento não é uma variação do tema principal, nem do tema da Força/Binary Sunset, que geralmente toca quando Luke vai fazer alguma coisa heroica, e sim uma desconstrução da Marcha Imperial. É uma dica musical de que a família Skywalker ainda não está pronta pra sair da sombra do legado de Vader. E se Kylo é o último Skywalker, eles nunca irão.

Mesmo com objeções, Kylo vai pessoalmente confrontar Luke.

Kylo novamente demonstra o quanto está obcecado com seu passado. Ele ignora totalmente a situação estratégica atual para resolver assuntos pessoais com Luke e perde sua oportunidade de destruir a Resistência.

Luke enfrenta a Primeira Ordem e Poe lidera a Resistência por entre os túneis da mina.

Luke está usando o sabre Skywalker ao invés do verde. Isso tem uma grande importância simbólica. Depois de rejeitar o sabre – que representa a identidade dos Skywalkers – duas vezes, ele finalmente mostra que o aceitou. Rey o mostrou que Vader não é a verdadeira identidade da família, e que ela está, sem saber de sua verdadeira identidade, a reconstruindo. Ao mesmo tempo, Luke aterroriza Kylo com o sabre, mostrando que o futuro da família não está nas mãos de Kylo.


Kylo e Luke se enfrentam.

Luke: Eu falhei com você, Ben. Lamento.

Kylo: É claro que sim! A Resistência está morta. A guerra acabou. E quando eu te matar, terei matado o último Jedi.

Luke: Incrível. Cada palavra que você disse está errada. A Rebelião renasce hoje. A guerra está só começando. E eu não serei o último Jedi.

Rey remove as rochas que estavam empatando a Resistência e se reúne com Finn em um abraço emocionante. A cena corta pra Luke e ele está sorrindo com os olhos cheios de lágrimas.  

Este é um paralelo importante, Rey e Luke estão tentando salvar quem amam – Luke distraindo Kylo e Rey evacuando a Resistência. Isso completa os paralelos de narrativa que começaram na caverna.

E da próxima vez que assistir o filme, repare nos olhos de Rey enquanto ela está levitando as rochas. Ela está olhando em volta como se ela estivesse surpresa, e não é por ter levitado as rochas ou por Finn (ver ele tira o foco dela disso, na verdade). Luke com certeza se conectou com ela.

A pura alegria de Luke é o clímax emocional do filme e o melhor argumento visual. Isso acontecendo imediatamente após vermos o quanto Rey está feliz por se reunir com Finn mostra que não é somente por que os Jedi sobreviveram. Luke provavelmente viu Rey salvar os membros restantes da Resistência e ele está muito feliz por isso. Ele está emocionado em ver sua filha salva, feliz, e que vai estar bem no final – tudo o que ele sempre quis desde o começo do filme.

Kylo: Eu vou destruir ela, e você, e tudo isso.

Luke: Não. Me atinja com raiva e eu vou estar sempre com você. Assim como seu pai.

Repare no paralelo com a fala de Obi-Wan em Uma Nova Esperança. Muitos reclamam da falta de uma luta mais coreografada, mas, assim como no Episódio 4, a carga é mais emocional do que física. Kylo está em um espiral niilístico e Luke aponta que cada crime dele só é adicionado à lista de coisas que vão o perseguir. Kylo quer matar o passado, mas só consegue fazer sua dor e conflito ficar pior. Esta espiral está levando ele a mais e mais atos extremos em vão.

Luke revela a projeção e some.

Kylo retorna à nave sozinho e vê Rey em uma última visão em que Rey fecha a porta da Falcon para ele.

Kylo recusou todas as oportunidades e agora vê Rey e sua própria mãe virar as costas pra ele, deixando ele na solidão. Rey tentou alcançá-lo com compaixão, mas parece que não foi suficiente.

Esta cena também reafirma a dúvida de se Snoke foi ou não responsável pela conexão.

Luke se torna um com a Força em Ahch-To.

Rey: Luke se foi. Eu senti. Mas não foi com tristeza ou dor. Foi com paz e propósito.

Leia: Eu também senti.

Rey sente a morte de Luke, e não só isso, mas como ele estava se sentindo na hora de sua morte, assim como os membros conhecidos da família Skywalker. Ainda que não seja definitivo, é sugestivo.


Com a morte de Luke, o manto do último Jedi é herdado por Rey. O palco está finalmente pronto para que os netos de Anakin lutem pelo destino da Força e pelo legado dos Skywalkers.


Este dossiê é uma tradução livre da série “The TLJ Case for Rey Skywalker”, feita pelos fãs da Star Wars Shadow Council, que são responsáveis pelo maior banco de dados de eventos do cânon no Reddit, o r/StarWarsReference.