BIOGRAFIA | Yoda, um formidável jedi

BIOGRAFIA | Yoda, um formidável jedi

Yoda foi um lendário Mestre Jedi e um dos mais fortes com relação a conexão com a Força. Pequeno em tamanho, mas sábio e poderoso, ele treinou Jedi por mais de 800 anos, desempenhou um grande papel nas Guerras dos Clones. Com a queda da República e da Ordem Jedi se exilou. Por fim, treinou Luke Skywalker, a última esperança dos Jedi e encontrou o caminho da imortalidade. Veja um resumo da sua história, contém informações Legends e cânon:

Sua juventude e entrada na Ordem Jedi:

Yoda não sabia que era sensitivo. Ele deixou seu planeta natal junto de um amigo humano, também sensitivo, em uma nave velha para ir aos Planetas do Núcleo. Esse veículo foi atingido por um asteróide e eles aterrissaram em um planeta pantanoso. Os dois foram encontrados por uma estranha criatura naquele mundo, o  Mestre Jedi Ysalriano N’Kata Del Gormo, que revelou a eles que ambos eram sensitivos à Força. Mestre Gormo levou os dois para sua residência onde treinou os dois nos caminhos da Força. Uma nave da Republica Galáctica resgatou os dois mais tarde.

Em 796 ABY, Yoda recebeu o título de Mestre Jedi na Antiga Ordem e começou a treinar seu primeiro estudante. De 300 ABY até 19 ABY ele treinou quase todos os Jedi da Galáxia — como Grande Mestre, ele instruía todos os Younglings do Templo Jedi antes deles serem adotados por um mestre, tendo Anakin Skywalker sido uma exceção quanto a isso.

A chegada do escolhido:

Em 200 ABY, Yoda, junto com outros poderosos Mestres Jedi da época, descobriu que a forma da Força havia começado a se dissolver, se tornando incerta. Estudando o perplexo mistério em meditação silenciosa, o Alto Conselho Jedi (do qual Yoda agora fazia parte) foi unânime, poder do lado negro estava crescendo. Alguns acreditavam que isso significava um iminente retorno dos Sith, mas como nenhum Lorde Negro surgiu, Yoda sugeriu uma teoria alternativa; a chegada do profetizado Escolhido, que traria equilíbrio à Força.

Em 32 ABY, Qui-Gon Jinn levou o jovem Anakin Skywalker ao Conselho Jedi, para ser testado. Yoda sentiu grande incerteza no futuro de Skywalker, e o Grande Conselho negou a inclusão do jovem na Ordem Jedi de inicio, mas, mais tarde, com a morte de Jinn e a teimosia de Obi-Wan Kenobi, o grande mestre e o conselho aceitou o menino dentro da Ordem.

A Guerra dos Clones:

Uma década depois, o jedi Obi-Wan Kenobi descobriu um exercito secreto de Clones feito para a República em Kamino. Após muito debate, Yoda viajou até o planeta para ver esses clones por ele mesmo. O senado aprovou o uso dos Clones. Yoda então foi com um grande exército de Clones para Geonosis, resgatar Kenobi, Anakin, senadora Padmé e vários jedi, liderado por Mace Windu.

Quando a batalha começou, Yoda descobriu que o exército dróide estava sendo liderado pelo seu antigo aprendiz Conde Dooku, que havia deixado a Ordem para se tornar um poderoso Lorde Sith e organizar a Confederação de Sistemas Independentes para se opor à República. Um duelo épico entre Mestre Jedi e seu antigo aprendiz tomou início. Mestre Yoda provou ser capaz de poder conter todas as técnicas de Força do Lorde Sith, e após um pequeno mas explosivo duelo de sabre de luz em que o idoso Jedi se mostrou superior, o Conde fugiu, deixando Yoda distraído com um pilar a cair sobre os feridos Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker. Yoda foi forçado a usar os seus poderes para parar o pilar e salvar os dois Jedi, dando a Dooku tempo suficiente para escapar.

Mesmo tendo a República ganho a Batalha de Geonosis sob os comandos do General Jedi Yoda, este sentiu logo que a Guerra dos Clones seria um longo e tumultuoso período para a República e para a Ordem Jedi. Durante a guerra, Yoda, junto com vários outros Mestres Jedi, tornou-se um General lutando pelo lado da República em várias batalhas em mundos espalhados pela Galáxia
Guerreiro de prontidão

Muito cedo no conflito, Yoda agiu como chefe de frontidão em Axion, liderando os soldados clones na batalha de cima de seu Kybuck. Nesse mundo contestado, ele salvou a vida do Comandante Brolis, e no processo ele derrotou um Dróide hailfire. Durante a Batalha de Muunilinst, Yoda foi ao resgate de Luminara Unduli e Barriss Offee após as Cavernas de Ilum serem destruídas por dróides camaleões. Em Ilum, Yoda descobriu que tinha sido o próprio Dookan que havia enviado os dróides para destruir o templo de cristais.

Yoda havia perdido seu antigo Padawan para o lado negro antes da guerra começar, mas durante o conflito, Yoda perdeu outro grande amigo. O Rei Alaric de Thustra estava planejando ceder o planeta para a Confederação, mas seu plano era se juntar à República quando a corrupção acabasse. Yoda viajou até Thustra para conversar com Alaric, mas seu velho amigo estava decidido, e eventualmente, o planeta entrou em guerra. Sem ver o estado de seu planeta, Alaric atirou com um blaster em Yoda, deixando-o com a única opção de se defender. Sem escolha, Yoda ricocheteou o tiro para o Rei. Yoda lamentou a morte de seu amigo, mas ele lamentou ainda mais ter usado seu sabre de luz na batalha, e temeu o fato que ele viria a usar sua arma em muitas outras batalhas que estavam por vir.

Próximo do fim da guerra, Yoda recebeu uma comunicação do Conde Dookan vinda de Vjun. Yoda estava ciente das armadilhas de Dookan, mas ele tinha esperanças de que o Conde estava tentando encontrar o caminho de volta ao lado da luz. Junto com os Cavaleiros Jedi Maks Leem, Jai Maruk, e seus Padawans Whie Malreaux e Tallisibeth Enwandung-Esterhazy, Yoda viajou secretetamente à Vjun. Entretanto, no caminho, Asajj Ventress atacou e capturou os quatro, matando Leem e Maruk. Ventress tentou destruir a estação espacial para matar Yoda. A pequena criatura verde, usando seus poderes, destruiu a nave de Ventress. Yoda então se encontrou com Dookan em Château Malreaux, e confrontou o Lorde Sith vendo que ele era inteiramente do lado negro. Dookan tentou converter Yoda ao lado negro, mas o Mestre Jedi facilmente deixou de lado as promessas de Dookan. Yoda também tentou converter Dookan ao lado da luz, e suas palavras pareceram causar um efeito profundo em Dookan. A intervenção inesperada de Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker fez Dookan voltar ao lado negro, e Yoda foi forçado a entrar em um segundo combate com o Conde. Ambos Yoda e Dookan sobreviveram, mas cada um deixou a batalha com muito em suas mentes.

O fim da República se aproxima:

Yoda observando a Batalha de Kashyyyk. Apesar desse estado sombrio, Yoda ficava a maior parte do tempo em Coruscant, e coordenava os esforços de guerra do Templo Jedi. Durante a Segunda Batalha de Coruscant, Yoda novamente usou seu Kybuck, dando suporte as forças do Capitão Fordo com um combate de sabre de luz montado. Ele eventualmente mandou a criatura devolta ao Templo, e continuou lutando (lado a lado com Mace Windu) a pé. Apesar de seus esforços, os Jedi foram incapazes de prevenir o General Grievous de capturar o Supremo Chanceler Palpatine, mas Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi conseguiram mais tarde resgatar o Chanceler, matando Dookan no processo. Com suas esperanças de trazer seu antigo pupilo devolta ao lado da luz agora acabadas, Yoda focou-se no objetivo de derrubar o último Lorde Sith, mesmo com a tensão entre o Alto Conselho Jedi e o Gabinete do Supremo Chanceler crescendo.

Em 19 ABY, o Supremo Chanceler Palpatine apontou Anakin como seu representante pessoal no Conselho Jedi. Novamente, o Conselho foi hesitante sobre o temperamento de Skywalker. Yoda novamente teve um papel importante na ascensão do jovem Jedi na ordem, e eles negaram o nível de Mestre Jedi à Anakin. Durante essa discussão, os clones informaram que os Wookiees estavam sob ataque e Yoda, que já tinha sido o vigilante do planeta, decidiu ir até Kashyyyk para ajudá-los. Yoda era habilidoso com a técnica da Meditação de Batalha, e usou esse poder durante a Segunda Batalha de Kashyyyk para ajudar os Wookiees e os clones.
Sobrevivência

Ordem 66:

Enquanto Yoda estava em Kashyyyk, Palpatine, agora revelado como sendo Darth Sidious, ordenou que os clones implementassem a Ordem 66, que era a exterminação de todos os Jedi. Yoda sentiu que os Jedi estavam sendo mortos Galáxia adentro, e foi capaz de impedir o Comandante Gree e suas tropas de matá-lo. Com a ajuda dos Wookiees Chewbacca e Tarfful, Yoda conseguiu escapar do planeta e se encontrou com outro Jedi sobrevivente, Obi-Wan Kenobi, e o Senador Bail Organa de Alderaan. Os dois Jedi então foram ao conquistado Templo Jedi para poder reconfigurar o sinal que estava dizendo aos Jedi sobreviventes para retornar à Coruscant, o que era uma armadilha. Eles desativaram essa armação, após enfrentarem vários soldados clones, e viram o Templo coberto pelos corpos de Jedi assassinados, incluindo os Younglings, que foram mortos por um sabre de luz.

Yoda luta pelo caminho até o Templo Jedi, agora nas mãos do Império. Os dois logo descobriram que Anakin havia passado para o lado negro, e que agora ele estava com o título Sith Darth Vader. Eles concordaram que os dois Lordes Sith precisavam ser destruídos. Yoda continuou em Coruscant para confrontar o alto proclamado Imperador Palpatine, enquanto Obi-Wan enfrentaria seu aprendiz. Rapidamente derrotando os guardas de Palpatine com as habilidades que só um Mestre Jedi poderia ter, Yoda começou a batalha que decidiria o futuro da Galáxia. O Grande Mestre da Ordem Jedi e o Lorde Negro dos Sith estavam equilibrados. Durante a batalha, sua visão transpassou o véu do lado negro, e Yoda foi capaz de ver um reflexo do futuro. O que ele viu não é claro, mas uma coisa é certa—Yoda ganhou uma intuição de esperanças para a Galáxia, e ele não poderia arriscar morrer ali.

Yoda e o Imperador Palpatine duelam no Gabinete do Supremo Chanceler. A batalha terminou em um empate, quando uma explosão da Força (causada pela deflexão de Yoda para se defender dos relâmpagos da Força de Palpatine) os separou. Ambos os mestres foram capazes de se segurar nas câmaras do Senado; Sidious conseguiu se agarrar a uma câmara para não cair no chão, Yoda, entretanto, foi incapaz de se segurar, e caiu vários andares até bater no chão do Senado. Naquela hora, Yoda estava muito cansado para continuar a luta, e graças a Bail Organa, ele conseguiu escapar para Polis Massa.

Lá, ele foi um instrumento na decisão do destino das crianças Skywalker, concordando que Luke e Leia deveriam ser escondidos de Darth Vader e do Imperador em lugares insuspeitáveis. Além do idoso Mestre Jedi, somente os Organas, os Lars, e Kenobi poderiam saber a localização das crianças. Ele também contou a Obi-Wan outro segredo—um velho amigo, Mestre Qui-Gon Jinn, havia encontrado o caminho para adquirir uma identidade após a morte, uma habilidade que ele ensinaria a ambos. Yoda tomaria um papel que ele não teve durante séculos: um aprendiz.

Se exilando em Dagobah:

Yoda observa Dagobah, seu novo lar, com pouco entusiasmo. Durante o Grande Purgo Jedi, Yoda escapou para Dagobah e ficou nesse planeta pantanoso durante a Guerra Civil Galáctica. Ele fez sua casa dentro de uma árvore sensitiva à Força, deixando o organismo absorver o poder da Força que estava em volta. Assim, a marca de Yoda na Força estaria escondida, e Darth Vader seria incapaz de encontrar o santuário do pequeno mestre verde.

Em adição às formas maciças que disfarçariam sua presença na Força Viva, havia vários outros fatores que contribuíam para a decisão de Yoda de viver em Dagobah, como a Caverna do Lado Negro, que contrariaria sua presença no lado luminoso, e o fato de Dagobah ser um dos trinta e sete planetas apagados dos Arquivos Jedi, o que ajudaria seu anonimato.

Yoda passa seus conhecimentos para Luke Skywalker. Logo após isso, Qu Rahn foi até Dagobah e aprendeu muitas habilidades com o sábio e velho mestre. Antes da Batalha de Hoth, Tash e Zak Arranda também se encontraram com Yoda. Foi durante esses anos que o pequeno mestre Jedi criou um gosto por ensopado de raízes.

Em um certo ponto do exílio, o cronista da Aliança, Major Arhul Hextrophon, descobriu o paradeiro de Yoda e viajou até Dagobah para encontrá-lo. Yoda originalmente planejou limpar a mente de Arhul, mas decidiu não fazê-lo, já que não era o modo Jedi causar dor e sofrimento — nesse caso, a perda de memória. Hextrophon prometeu que não revelaria a existência de Yoda. Ele apagou os arquivos que o levaram até o mestre Jedi, e mesmo podendo publicar essas informações em seu jornal privado, é acreditado que ele manteve sua palavra.

Quando Luke Skywalker (filho de Anakin Skywalker) pousou em Dagobah, Yoda relutantemente concordou em treiná-lo nos caminhos da Força, expressando cuidado quando sentiu que a personalidade de Luke era similar à de Anakin e julgando-o muito velho para treinamento. O Mestre Jedi provou ser o excelente professor que era, treinando Luke no tempo limitado que eles tinham. Entretanto, antes do treinamento estar completo, Luke escolheu deixar Dagobah para confrontar Darth Vader na Cidade das Nuvens e salvar seus amigos. Yoda tentou convencer Luke a ficar, achando que ele não estava pronto para confrontar Vader ainda. Entretanto, nem Yoda e o espírito de Obi-Wan conseguiram persuadi-lo a ficar. O jovem Luke prometeu voltar para completar o treinamento.

Luke retornou um ano depois, e encontrou o velho Yoda em péssima saúde, obviamente incapaz de continuar seus ensinamentos. Yoda disse a Luke que seu último teste para se tornar um Jedi seria enfrentar Darth Vader. Yoda então morreu com 900 anos de idade e se tornou um com a Força. Na celebração após a Batalha de Endor, Luke pôde ver os espectros de Yoda, Obi-Wan, e de seu redimido pai.

O estudante mais importante:

O estudante mais importante de Yoda foi Luke Skywalker, o qual Yoda treinou para ser o futuro da Ordem após a sua quase completa destruição após a execução da Ordem 66. Tendo treinado o primeiro membro da Nova Ordem Jedi, Yoda serviu como canal entre as duas ordens, preservando a chama Jedi para uma próxima geração.

Personalidade e características pessoais:

A habilidade de aparecer como um espírito após se tornar um com a Força foi aprendida com Qui-Gon Jinn. Para seus estudantes, aparentava ser tanto como muito estrito ou como uma figura carinhosa, testando-os à extremos mentais e físicos em um momento e mostrando afeto no outro. Os estudantes também não gostavam dele no início, mas vinham a entender suas atitudes mais tarde. Yoda era muito habilidoso com o sabre de luz. Entre seus colegas do Conselho Jedi, ele era conhecido por fazer algumas travessuras e piadas. Para todos eles, ele era o humilde Yoda, que oferecia liderança instruída e sintetizava os ideais da Ordem Jedi; um mestre majestoso, ele era um sábio instrutor.

Yoda falava uma versão incomum do Básico. Ele usualmente colocava os verbos (principalmente verbos auxiliares) após o objeto e do sujeito (um formato objeto-sujeito-verbo). Um exemplo de fala de Yoda: “Quando novecentos anos você tem, ter aparência boa difícil é”. Esse modo de falar também era mostrado por outros membros de sua espécie (ex: Yaddle), mas nem todos falavam dessa maneira (ex: Vandar Torake).

Quando velho, Yoda andava com a ajuda de uma bengala, embora ele fosse capaz de deixá-la de lado para se mover usando a Força. Uma de suas bengalas era presente dos Wookiees. Sua rara bengala gimer continha nutrientes que podiam sustentá-lo quando ele a mastigava. Ele também usava uma cadeira flutuante para se mover mais rapidamente pelo Templo Jedi.

Outro item único para Mestre Yoda foi um blissl, um instrumento similar a uma flauta de pan, que ele deixava em volta de seu pescoço enquanto estava em Dagobah. Durante as Guerras Clônicas, ele também fez uso de um Kybuck dado a ele de presente por uma princesa de Woolwarrica em Kashyyyk.

Poderes e habilidades:

Yoda era capaz de bloquear o relâmpago da Força desarmado e foi um formidável praticante do combate de sabre de luz; sua escolha preferida era a Forma IV – Ataru – a qual alcançou o máximo desenvolvimento. A Forma IV permitia ultrapassar suas limitações de tamanho e alcance. Ele era um espadachim excepcional, com incrível velocidade e destreza, saltando pelo ar e girando quando ele batia em uma defesa do inimigo. Yoda era um grande contribuidor para o alto nível de estratégia Jedi, e era um diplomata social comparável a Mace Windu.

Veja mais: Forma IV: o estilo de combate de Mestre Yoda

Mestre Yoda podia controlar indivíduos tolos como o Capitão Typho e entrar nas mentes das outras, telecineticamente levantar objetos enormes, incluindo naves de pouso C-9979, e usar o Empurrão da Força ou a Onda da Força. Ele também era capaz do Arremesso de Sabre, como é demonstrado em seu retorno ao Templo Jedi durante o Grande Purgo Jedi. Sua habilidade com o Brio da Força lhe dava o poder necessário para fazer as manobras acrobáticas de Ataru.

Yoda também podia vencer batalhas levantando a força de vontade de milhares de companheiros enquanto simultaneamente enfraquecia os espíritos de milhares de oponentes, usando uma técnica da Força chamada de meditação de batalha. Realmente, sua simples presença no campo de batalha era capaz de encorajar os espíritos do Exército da República. Ele podia dissipar e desviar o relâmpago da Força desarmado, prever eventos com claridade e sentir a morte de pessoas individuais e identificá-las. De seu treinamento com Qui-Gon Jinn, conseguiu o poder de adquirir uma identidade após se tornar um com a Força. Essas habilidades, em particular, mostravam um conhecimento mais profundo da Força que muitos Mestres Jedi e Lordes Sith não possuíam.

Yoda também possuía a técnica chamada de Tutaminis que lhe permitia absorver e liberar energia a sua vontade. Yoda era usuário do “Force Valour” uma técnica que lhe permitia superar as limitações de sua idade avançada.

Fonte: Wikia